Loading...

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010


A liberdade é relativa meu amor.

Volto a ser beijada, e sabe-me como se fosse a primeira vez.
E se ainda falo com facilidade da minha liberdade é porque ainda resta alguma coisa do que já fui.
Reciclaste-me. Sem querer colocaste-me num sitio diferente do que eu pertencia.
E visitas-me porque queres, mas não és nem nunca serás completamente livre para fazê-lo. 
E aí, não há gaivotas que te segurem, porque será sempre limitada essa tua liberdade.

"Eu sou radical, ou tenho tudo, ou não quero nada."

Sem comentários:

Enviar um comentário