Loading...

quarta-feira, 30 de junho de 2010

E se só por hoje...


Gosto da minha cidade.
Gosto de saber exactamente onde ir, dependendo do que preciso. Encontro alguém conhecido e falo qualquer coisa sobre o calor que está ou de planos para qualquer coisa. 
Aqui costuma ser agradável acabar por conhecer as pessoas. Gosto de entrar no café do Sr. João que sempre feliz me diz "Já vens ao vício!", e ainda que contrariado troca-me a nota de 5€ e desbloqueia-me a máquina do tabaco, ou o Café da estação de comboios que ainda se lembra que no Verão só bebo café em chávena fria.
Todos acabamos por ser fiéis a uma rotina. Convivemos por essa mesma rotina quando nos relacionamentos com as pessoas, sem as chegar a saber... Ás vezes sinto falta dessas pessoas, ainda que não seja quando as relaciono com uma fase, ou uma rotina em especifíco.

E não foi aqui que te vivi. Não há lugares que me lembrem de ti. Não há pessoas que saibam de ti.

Pergunto-te, e se só por hoje, fugisses para perto de mim?

sábado, 26 de junho de 2010

Goodnight Benjamim *




Boa Noite Benjamim,

Como te sentes hoje?

Hoje criei um blog, só para poder ter livres devaneios, em noites cisudas como esta. Lembrei-me do que a minha querida amiga Catarina um dia me disse, "Já que queres escrever um livro, porque é que não começas por criar um blog?", e aproveitei estas férias inesperadas para começar a fazer várias coisas que nunca tinha feito.

Na realidade, tenho-me tentado lembrar de mil e uma formas subtis de me incentivar a olhar em frente, depois de nós. De certa forma, acompanhas-me, mesmo que te tenha párado de viver fisicamente.
Aprendi a viver-te na recordação de cada momento que pude e quis reter. Afinal, foste tu a peça fundamental nesta viagem de quatro meses.
Parece que sem saber, foi para te conhecer, foi para te aprender que pus malas e bagagens na minha hora de saída de Lisboa. Foi também por ti que voltei, e graças a ti, com uma carga mais cheia de coisas que não sabia antes de "nós".

Secretamente, ainda acho que temos tanto para nos viver.



LilianaFreixinho